Eu vi: Her

Esse filme Her era daqueles que estava na listinha pra assistir a muito tempo. A capa desse filme tinha me chamado bastante atenção. Sério. Olha esse contraste de vermelho com rosa! E por um momento até achei que já tinha saído do catálogo do Netflix. Fiz minha busca de novo e lá estava ele pronto para ser assistido.

Sinopse: Em um futuro próximo na cidade de Los Angeles, Theodore Twombly é um homem complexo e emotivo que trabalha escrevendo cartas pessoais e tocantes para outras pessoas. Com o coração partido após o final de um relacionamento, ele começa a ficar intrigado com um novo e avançado sistema operacional que promete ser uma entidade intuitiva e única. Ao iniciá-lo, ele tem o prazer de conhecer “Samantha”, uma voz feminina perspicaz, sensível e surpreendentemente engraçada. A medida em que as necessidades dela aumentam junto com as dele, a amizade dos dois se aprofunda em um eventual amor um pelo outro.

Uma das coisas que mais me chamaram atenção nesse filme foi o fato dele se passar em um tempo muito presente. Quase que mostrando um futuro. Porém quando você assiste ao trailer, parece que se passa em um outro século. É um filme que traz reflexões importantes para os dias atuais.

Como o crescimento da tecnologia nas nossas vidas e relacionamentos. Mostra que cada vez mais o amor se torna abstrato. É mais uma daquelas questões sobre nós e a tecnologia, que nos aproxima mas ao mesmo tempo nos deixa isolado.

Não dá pra deixar de comentar sobre a fotografia do filme que está bem bonita. Com cores primárias sempre em destaque. Inclusive a Carol falou aqui no blog dela sobre a paleta de cores desse filme. Isso fez com que, mesmo quando não tinha fala, toda a parte visual me atraia e não fazia ficar chato. AH! A trilha sonora também é bem boa.

Talvez o filme seja arrastado demais em alguns momentos, pelo fato do Theodore ser bastante complexo. Por isso que a dica que eu dou é: assista com paciência. Se for assistir por assistir, nem assiste. O futuro que é mostrado no filme é “fácil” e prático, onde perdemos o menor tempo possível em tudo.

Reflexão

Quando estiver na rua, comece a reparar. Temos os smartphones. Ficamos de cara com a tela durante boa parte do dia. Assim que a gente acorda, é uma das primeiras coisas que fazemos. Até mesmo na presença de amigos ficamos rolando a timeline de uma das redes sociais. O mundo retangular quase sempre parece ser mais interessante do que a vida real. É um grande desafio hoje a gente evitar olhar para a tela do celular, alias poucas pessoas tentam fazer isso. Criamos muitas camadas de abstração. Conseguimos ficar muito isolados, mas talvez essa seja a nossa vontade. Que, vamos combinar, é muito mais fácil né?

Enfim, o filme traz essas questões e outras pra gente refletir. É um bom filme, recomendo muito que assistam e tirem suas próprias conclusões. 😀

Mas e aí? Já assistiram? Querem assistir? Comentem aqui!

Thami Sgalbiero

Leonina, botafoguense, enrolada, confusa e distraída. Ama ver, ler e falar sobre moda (mesmo não sendo expert no assunto). Sonha em ser atriz, mas enquanto esse sonho não se realiza, fica apenas no blog mesmo.

40 thoughts on “Eu vi: Her

  1. hellz

    OOOI THAMI

    esse filme traz mesmo uma reflexão imensa sobre essa era tecnológica desenfreada em que a gente vive. Acho que não podiam ter escolhido um ator melhor do que o Joaquin, que cá pra nós, é meio perturbado da cabeça – o que combina total com a temática HAHAHAHAH
    o mais surpreendente é o final, né? sério, eu fiquei embasbacada como o relacionamento deles termina ;x

    beijo
    http://www.beinghellz.com.br

    Responder

    1. Thami Sgalbiero

      Eu já tava prevendo a onde aquilo ia dar. Porque ela era uma voz né? Então, não ia ser por muito tempo.

      Responder

  2. Lívia Madeira

    ah esse é um dos filmes da minha vida! vi no cinema e já revi varias vezes, amo e me identifico <3 que bom saber que vc tbm gostou

    http://www.tofucolorido.com.br
    http://www.facebook.com/blogtofucolorido

    Responder

    1. Thami Sgalbiero

      Não lembro de ter visto ele em cartaz no cinema. Vi só no Netflix mesmo, haha!

      Responder

  3. Leidiana Pereira

    Adorei a resenha do filme, eu nunca assisti e quero ver logo, aproveitar que estou de férias e aproveitar. Adoro filmes que trazem uma boa reflexão sobre a vida. Hoje em dia, o povo só quer saber de celular e pronto, quando pego ônibus só vejo o povo com smartphone. É a tecnologia que ao invés de nos ajudar a evoluir e facilitar a vida, parece que retroage formando pessoas individualistas e que “vivem mais na era virtual que na real”.
    Beijos. ♥

    Diário da Lady

    Responder

    1. Thami Sgalbiero

      Sim, exatamente! Esse filme mostra bem isso, mas também mostra o outro lado, que é quando usam a tecnologia ao seu favor e dá tudo certo. Assiste o filme sim, vai gostar. 😉

      Responder

  4. Dani Ramos

    Faz tempo que vi o trailer desse filme, mas acabei deixando para depois e não assiti ainda.
    Deve ser bem interessante…

    Dani Ramos
    http://donaengenhosa.com.br/

    Responder

  5. Emerson

    Emocionante e a a trilha sonora muito legal por trazer Karen O.
    Bom final de semana!

    Até mais,
    Emerson Garcia

    Jovem Jornalista
    Fanpage
    Instagram

    Responder

  6. Gabriela Dahmer Coitinho

    Algumas semanas atrás, outra blogueira que acompanho falou sobre o filme e eu fiquei bem curiosa para assistir. Até o momento, não fiz isso e bem provável que demore mais, principalmente depois de tu dizer que tem que assistir com paciência, então, para isso, preciso ter tempo e estar bem animada para ver o filme, coisa que, ultimamente, não tenho conseguido. Mas você me mostrou uma perspectiva diferente dele, que me deu um pouquinho mais de curiosidade. Já que ele se baseia muito nas nossas vidas atuais, em nossas relações com a tecnologia, é interessante ver, pois deve ter lições a agregar.

    Beijos,
    Última postagemFanpage

    Responder

    1. Thami Sgalbiero

      Sim sim, pega um dia que você estiver afim de assistir um filme mesmo. Vai valer a pena, você vai ver 😉

      Responder

  7. Thayse Stein

    Eu gostei muito desse filme, principalmente da estética dele, como tu comentou, com as cores e tal. Acho interessante demais a proposta e as discussões que ele traz sobre tecnologia x vida social x dependência, carência e exigências num ser “humano real”. Ele tem algo que me incomoda um pouco, me deixa aflita, mas acredito que seja de um jeito bom, justamente por instigar esses questionamentos.

    Ah, e grava o vídeo dos personagens siiiim, vai ficar muito legal!


    Beijos
    Brilho de Aluguel

    Responder

    1. Thami Sgalbiero

      Sim, também fiquei meio aflita em alguns momentos. Vou tentar gravar o vídeo aqui! 😀

      Responder

  8. Gabriela Soares

    Thami, eu tava louca pra assistir esse filme e logo que foi parar no catálogo da Netflix eu fui correndo assistir, fiz brigadeiro e transformei a sala em um cineminha HAHAHAH mas me decepcionei, acredita? Acho que botei muita expectativa no filme porque pelo que falavam ele parecia ser sensacional, mas eu só achei bonzinho mesmo. Mas não dá pra negar que a reflexão que o filme traz é ótima, me lembrou muito Black Mirror!
    Um beijão,
    Gabs | likegabs.blogspot.com ❥

    Responder

    1. Thami Sgalbiero

      Siiim, Gabs! Me lembrou bem Black Mirror também. Eu até curti, porque sempre me forço a não criar expectativa.

      Responder

  9. Váh

    Vi o trailer e já gostei, parece ser bem interessante esse filme!!
    Eu gosto de filmes que nos fazem refletir e passar dias pensando sobre, são meus preferidos. Vou assistir agora nas férias 🙂

    http://heyimwiththeband.blogspot.com.br/

    Responder

    1. Thami Sgalbiero

      Também gosto de filmes assim, que já saio loucamente indicando e divulgando no Twitter, hahaha!

      Responder

  10. Pâmela

    Eu vi passando aqui em um canal, mas ainda não tive curiosidade de ver.
    Beijos!
    Blog Pam Lepletier

    Responder

  11. Luly

    Eu fiquei doida pra ver Her desde que saiu, antes de saber do que se tratava, porque sou louca pelo Joaquin Phoenix. Acho que ele representa todinho a expressão “homão da porra”! Mas aí vem o filme e a história em si… Ai, achei muito chorável! A situação, como isso foi guiando a vida dele, as consequências, como a amiga dele (linda, né?) ficou completamente de boa com a situação, a trilha sonora… Filmão! E tá um pane no cérebro em pensar que com as Siris da vida a gente não tá longe disso, né…

    Responder

    1. Thami Sgalbiero

      Exatamente! Já temos a Siri, imagina futuramente? Hoje em dia tem celulares e até mesmo carros que já funcionam com comando de voz, uma loucura isso. Esses filmes que mostram a tecnologia é quase que o futuro da gente. Filmão mesmo!

      Responder

  12. Marcela Miranda

    Eu tenho um verdadeiro amor por este filme, devo ter assistido ele umas mil vezes. Adoro a fotografia, paleta de cores, trilha sonora e o tema, acho que tudo faz uma junção incrível. Lembro que quando assisti ele pela primeira vez, notei justamente o que você citou na reflexão “O mundo retangular quase sempre parece ser mais interessante do que a vida real”.
    Amei seu post, espero que seus leitores assistam essa sua indicação <3
    Beijos.

    http://lesjoursdemarcela.blogspot.com.br

    Responder

    1. Thami Sgalbiero

      Sim, toda essa junção do filme deixa ele bom mesmo. Acertaram na produção!

      Responder

  13. Sté Maciel

    A fotografia desse filme é a coisa mais linda <3

    mariasabetudo

    Responder

  14. Marina

    Já vi no catálogo da Netflix, mas nunca parei pra assistir. Gostei bastante da resenha, e é exatamente isso. Passamos metade da vida vendo o que os outros fazem e esquecemos de aproveitar quem tá por perto. Me chamou super atenção sua reflexão. Vou assistir.
    beijos

    http://www.marinaalessandra.com

    Responder

    1. Thami Sgalbiero

      Aí acaba que a gente acredita que aquilo ali que tá no celular é melhor do que a nossa vida real. Um completo desperdício pensar assim. Sempre me policio quando começo, haha!

      Responder

  15. Ana Murari

    Oiiiii, tudo bem?
    Esse filme é a perfeita definição de Black Mirror né? hahaha. Quando assisti fiquei super assustada de ver algo tão próximo da nossa realidade, com a Siri, Cortana, etc… Fora essas relações distantes e virtuais… Não estamos longe disso, aliás isso já acontece… É super triste, mas também nos faz refletir e ver que não quero chegar a esse ponto não hahahha
    Adorei sua resenha!!!!
    Beijos
    Vídeo novo: https://www.youtube.com/watch?v=M7zspSSsLHM
    http://www.somosvisiveiseinfinitos.com.br

    Responder

    1. Thami Sgalbiero

      Obrigada! Sim, também achei bem semelhante ao Black Mirror. E também assustada de como se aproxima da nossa realidade, tinha me esquecido da Cortana, que também é uma loucura né? Isso nem precisa ser tão triste assim, porque pode servir para o bem, é só saber usar né? Hahaha!

      Responder

  16. Fe

    Eu comecei a assistir Her e acabei largando logo no início, porque não me prendeu muito, sabe? Mas vou pegar pra assistir com calma novamente, quem sabe eu goste… Haha 🙂 Gosto de filmes que me fazem refletir sobre a vida, talvez acabe gostando dele. 😉
    Beijos!

    Responder

    1. Thami Sgalbiero

      Sim, tem que assistir em um dia que esteja com paciência mesmo. Porque tem partes do filme que é só para perceber uma expressão ou atitude.

      Responder

  17. Lorraine Faria

    também já vi varias esses a capa do filme na netflix, mas não tinha muita ideia do que se tratava e deixava para depois. agora com a sua resenha animei muito pra ver! tem muita cara de ser o tipo de filme que eu adoro <3 pra lista já!

    Responder

    1. Thami Sgalbiero

      Você vai gostar! 😉

      Responder

  18. Thaiane e Thalita

    Já ouvimos falar desse filme, mas ainda não assistimos. Parece ser muito interessante , gostamos de filmes que nos fazem refletir, ainda mais com essa temática!!

    beijos

    onlyinspirations.blogspot.com.br

    Responder

  19. Kaila Garcia

    Amei demais sua resenha, os lançamentos da Netflix estão excelentes, não conhecia esse ainda mas já o coloquei na minha lista! ❤

    http://www.kailagarcia.com

    Responder

  20. Sofia

    Nossa o filme me cativou imenso! Sério!
    Um dia destes vou ver!
    ah e Parabéns pelo blog, está muito lindo!
    Beijos:*

    Poção de Maravilhas

    Responder

    1. Thami Sgalbiero

      Obrigada, Sofia! 🙂

      Responder

  21. Tamara Mansur

    Oláá! Tudo bem?
    Nossa, eu vi esse filme há algum tempo já, não lembro muitos detalhes… especialmente essa questão da paleta de cores que você falou, eu queria ter prestado mais atenção nisso.. mas sou de focar mais na história mesmo e eu achei incrível! realmente, ver como a gente se importa muito com o virtual e esquece o real, essa sua frase foi ótima: “O mundo retangular quase sempre parece ser mais interessante do que a vida real.” adorei!!
    beeijo
    http://lecaferouge.blogspot.com.br/

    PS: sobre o problema no hostel, é que muitos têm festas à noite e podem acabar deixando pessoas de fora entrar, então sempre corre um risco de se ter gente aproveitadora, sem noção ou abusada.. e foi o nosso caso! um cara estava na festa e começou a mexer comigo e as minhas amigas, chegou abaixar as calças! nós reclamamos com a gerência, mas parece que o cara era amigo dos funcionários :O então, dissemos que se não tirassem ele, chamaríamos a polícia. e foi o que aconteceu! só que o cara ficou lá fora, dizendo que ia esperar a gente sair, brigou com a polícia, teve socos e pontapés… eee fora isso, no dia seguinte, teve assalto no hostel, levarem os pertences de um monte de gente! eeeeeee numa outra noite, um cara entrou no nosso quarto (éramos 9 mulheres num mesmo quarto) várias vezes seguidas de madrugada, sem explicação nenhuma – isso porque a gente trancou a porta (mas provavelmente ele era da administração do hostel e tinha uma chave). mas você de meu uma ótima ideia de falar sobre furadas assim no blog! vou fazer o post! ^^

    Responder

    1. Thami Sgalbiero

      A gente tem aquela mania feia ver o Instagram e ficar achando que a vida daquela pessoa é melhor que a sua e etc, por isso que temos cada vez mais que fazer o exercício de não pensar dessa forma, isso melhora bastante. Já to fazendo isso a um tempo e tenho melhorado bastante a forma de pensar.

      Que absurdo esse cara intruso da festa do hostel! Ainda abaixou as calças? Que ridículo! 😱 Assalto??? Que perigo! Sei que hostel é mais barato e tal, mas as pessoas estão pagando de toda forma algum centavo ali né? O mínimo que deveria ter era segurança. Que bom que só tinha mulheres no seu quarto, mas mesmo se o cara fosse da administração, não dá direito dele entrar no quarto sem permissão. Só se tivesse acontecendo alguma emergência como gritos de socorro, o que eu tenho certeza que não tinha né? Hahaha! Faz sim, é interessante e bom pra deixar quem ainda vai viajar em alerta. 😉

      Responder

  22. Camila Faria

    Eu assisti Thami e achei bacana demais toda essa reflexão a respeito das tecnologias, do relacionamento entre as pessoas nessa realidade “do futuro”. Fiquei até com vontade de assistir de novo depois do seu post!

    Responder

    1. Thami Sgalbiero

      Eu adoro assistir filme repetido, então sempre que vou indicar um filme pra alguém, topo ir assistir com a pessoa de novo, haha!

      Responder

  23. Duane

    Thami, eu quero ver esse filme é bastante tempo, bom saber que é meio enrolado, assim assisto quando estiver com mais paciência HAHAH. E é bem isso, o mundo retangular é infinitamente mais fácil. Mas não é tão bom quanto a vida real.
    Beijos!

    Responder

    1. Thami Sgalbiero

      É tem que assistir com paciência pra pegar a reflexão depois, hahaha!

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *